Notícias

Ioepa lança seis livros no terceiro dia da 24º Feira do Livro
04/12/2021

O estande da Imprensa Oficial do Estado do Pará (Ioepa) teve outro dia cheio de lançamentos na sexta-feira (3), no terceiro dia da 24ª Feira Pan-Amazônica do Livro e das Mutivozes, que ocorre na Arena Guilherme Paraense, o Mangueirinho, de 9h às 21h, até o dia 5 de dezembro. Ao todo seis livros foram lançados pela Editora Pública Dalcídio Jurandir, da Ioepa.


Mais três vencedores do Edital Literário Prêmio Dalcídio Jurandir, na categoria Prosa, lançaram seus livros em uma concorrida noite de autógrafos. Francisco Egon da Conceição Pacheco, Região Baixo Amazonas , autor de "Marias e Encantarias II - Num tempo do era ..." ; Felipe Figueiredo De Campos Ribeiro , da Região Guajará , com "Ínfimas Infâmias" ; e Francioellys Viannza, Região do Guamá, da cidade de Castanhal, autor de "Bicho do Mato" tiveram a chance de mostrar ao público os seus trabalhos.  

Edital - Apenas Franciorllys Viannza pôde comparecer ao lançamento. Os outros dois autores foram representados por familiares.

Franciollys Vianzza resumiu o sentimento dos premiados ao falar sobre a importância do Prêmio Dalcídio Jurandir. "Editais que premiam com a publicação de livros são sempre ideais porque oportuniza muitos escritores a tirar sua obra da gaveta. Porque é muito difícil ter recurso para pubicar o livro. Então, o edital da Editora dalcídio Jurandir materializa aquilo que é um sonho do autor", avaliou Vianzza.

Fraciorllys disse ainda que a opção do edital da Ieopa de segmentar a escolha dos autores por região também foi muito oportuna e merece elogios. "Isso oportunizou que escritores que se tivessem que concorrer com uma margem muito ampla, principalmente da capital, tivessem a chance de ser avaliados pelos jurados dentro de sua região. Isso foi muito bacana, muito bem pensado, bem democráartico", opinou o escretor castanhalense.

Ele contou que em "Bicho do Mato" ele faz uma homenagem a homens e mulheres de sua cidade, trasfigurada na imaginária Tebaida, palco das tragédias, dos dilemas, dos dramas que eles vivem. "Mas eu quis, sobretudo, expor por meio desse livro uma certa exclusão que o home e a mulher do interior têm, seja na arte, seja na vida. Então foi uma chance de mostrar que as pessoas do interior vivem os mesmo dramas dos homens e mulheres das metrópoles. 'Bicho do Mato' ve,m com essa ânsia de se colocar como protesto, como denúncia, como um alerta", declarou o escritor.

A obra "Bicho do Mato" custa R$ 30, tem 205 páginas pode ser adquirido diretamente com o autor pelo perfil @franciorllys_viannza e também no Sebo do Gueto Belém, no Gueto Hub; no Sebo do Gueto Castanhal e brevemente na Livraria Fox. "Marias e Encantarias II - Num tempo do era ..." tem 103 páginas  e custa R$ 30 e "Ínfimas Infâmias" conta com 167 páginas e também está à venda por R$ 30.
O livro "Amazônia, Espaço-Estoque: a negação da vida e esperanças teimosas", de Raimunda Monteiro foi lançado por volta das 18h, no estande da Ioepa.

 

Transamazônica - A obra "Amazônia Espaço-Estoque, a negação da vida e esperanças teimosas" é uma reflexão sobre os processos seculares da Amazônia, detalhando como o estado brasileiro causou grande sofrimento humano, principalmente aos povos indígenas, ao abrir a rodovia Transamazônica.

 

O livro teve um lançamento concorrido no estande da Ioepa e houve um ato político com a presença de importantes lideranças políticas e representantes dos movimentos sociais: o agricultor Avelino Ganzer, a coordenadora nacional do MAB, Cleidiane Vieira; a diretora do Conselho Nacional das Populações Extrativistas, Elden Moraes; o deputado Airton Faleiro; a assessora parlamentar Soraia Almeida e o coordenador da editora pública Dalcídio Jurandir, Moisés Alves.


"Amazônia Espaço-Estoque, a negação da vida e esperanças teimosas", com 279 páginas, de autoria da professora Raimunda Monteiro, pode ser adquirido com a autora pelo telefone (91) 9823  9222 ou @Profraimundamonteiro, a R$ 40.

Filosofia - A editora pública Dalcídio Jurandir, da Imprensa Oficial do Estado, lançou nesta manhã o livro “Filô Zezinho em..., o que é a Filosofia?" que apresenta a história de um garoto apaixonado por fazer perguntas e se questiona sobre o que é pensar e refletir. A partir disso, começa a descobrir o que é filosofia. Por volta das 11h, a autora interagiu com muitas crianças que foram prestigiar o lançamento do livro.  

Escrita pela professora e especialista em filosofia para crianças, Aline Rossi, a obra é primeira de sete livros da coletânea que a autora pretende lançar, em breve, para os leitores infantis.  

Segundo ela, o personagem Zezinho vai entender que a filosofia é uma descoberta grega. “A partir do momento em que ele se dá conta de que no Pará nós temos lendas e mitos, ele começa a entender que o homem amazônida também pensa e também reflete sobre essa mitologia e o porquê das coisas. Então, ele quer descobrir isso, o que é pensar e o que é pensar a Amazônia”, comentou a autora, sobre a história do livro.

O livro apresenta 13 páginas com ilustrações da arte-educadora Oneide Lima. Custa R$ 25. Os interessados em adquirir a obra diretamente da autora podem comprar pelo telefone: (91) 98888-9020.
 
Mulheres dos rios- Uma obra que usa os rios como metáfora para a vida e a água como símbolo do feminino teve seu lançamento nesta sexta-feira (3) com o selo da Imprensa Oficial do Estado. Oito mulheres, mestras em Letras apresentaram o livro “Rios em Nós”, resultado das vivências e experiências das escritoras Clébia Maciel, Djane Pereira, Flávia Leite, Gilcélia Mendes, Jandiassy Ribeiro, Maria Helena Viana, Rosângela Diniz e Tânia Monteiro com os diversos rios da Amazônia, do Brasil e do mundo.

São poemas e memórias que descrevem, com linguagens literais e metafóricas, as belezas e as encantarias dos rios, além de também denunciarem as mazelas que se espalham em muitos rios amazônicos, entre elas, a chaga da exploração sexual que ainda hoje segue impune e permeia o cotidiano da região.  “Este livro nasceu como nasce o rio: naturalmente. Nasceu para contar histórias, relembrar momentos, refletir sobre a vida e compartilhar emoções”, explica Helena Viana, organizadora da coletânea, que em pleno auge da pandemia, em 2020, teve a ideia de realizar o projeto e convidou oito amigas para escreverem sobre a temática, com todas as autoras tendo em comum o fato de serem professoras, mestras em Letras, amigas da literatura, íntimas da linguagem poética e apaixonadas pela natureza e pela vida.

O resultado foi uma coletânea considerada “uma declaração de amor, de orgulho e de pertencimento às origens ribeirinhas das autoras”, como definiu o presidente da Imprensa Oficial, Jorge Panzera, na apresentação do livro. “O livro é formulado por mulheres e, por isso, talvez, ele traga a sensibilidade, o amor e o olhar generoso e metafórico que vão mostrar aos leitores de forma mais presencial a grande experiência vivida e descrita nessa obra”, reforça o coordenador da Editora Dalcídio Jurandir, da Ioepa, Moisés Alves de Souza.

Além dos textos, o livro traz fotografias de vários rios com imagens que complementam e dão mais significado à obra. As fotos são dos rios da Amazônia e, também, do Maranhão, onde nasceram duas das autoras.

Além de Belém, a obra terá também lançamento em Soure, no Marajó, e em São Luís, no Maranhão.  O livro custa R$ 25, tem 85 páginas . Telefone para comprar livro 98017 0789, com Gilcélia Mendes ou pelo e-mail gilceliaamendes@gmail.com

Todos os livros também podem ser comprados no estande da Ieopa na 24ª Feira do Livro.

Texto Ailson Braga
*Com informações  de Julie Rocha e Railídia Carvalho


Fonte: Ioepa